segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Desintitulado n° 17.

O marasmo pós-eleições é tremendo. Não senti ímpetos de ânimo em ninguém. Alguns exaltados com certeza existem. Mas nenhum bateu nos meus ouvidos. Parece que um senso de continuísmo afetou todos. O que não é necessariamente ruim. Mas convenhamos que a escassez de novidades dá sono. Se pelo menos o Plínio fosse eleito, sentiríamos menos essa ressaca que não deixa qualquer teor etílico pelo fígado, mas amansa nossa coragem e a torna tão dócil quanto um dálmata domingo de manhã. Ser brasileiro é tomar cerveja sem álcool e fingir um porre que não existe.

5 comentários:

  1. Pois é nobre Eduardo... um "marasmo brochante"!!!

    Mas além dos cidadãos "politicamente passivos", nesse momento, milhares de cidadãos "politicamente ativos" batem boca e fazem o maior escarcéu nos comitês partidários em função da distribuição de cargos para os quase infinitos departamentos públicos de que o Brasil dispõem!

    Para esses, o "pós-eleição" chega a ser até um "porre" infartante!!!

    ResponderExcluir
  2. Parece que é uma característica do povo brasileiro: acomodar-se demasiadamente após uma tormenta, esquecendo que a qualquer momento uma nova tormenta pode acontecer. E nossa tão usurpada "democracia" segue o mesmo ritmo, deixando-se subornar a todo instante, acomodando-se com migalhas...

    ResponderExcluir
  3. Eduardo, parabéns pela lucidez! Ah, e pela poesia que se mostra/esconde em tuas análises...
    Vou seguir seu blog, a partir de hoje (sempre meio atrasado...rsrsrsrs). Dá uma passada por lá: www.tecopoetasonhador.blogspot.com. Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Nem sei se o Plínio resolveria isso, não sei se o país se assemelha à um Dalmata manso num domingo de manhã..mas, que tem gente tomando cerveja sem alcool e se fazendo de bebado... ah, isso tem!

    Ah, maldita seja a política do ferroz continuismo. Maldita seja!

    Política me causa estranha lassidão.

    por ora, beijos mais poeticos.

    ResponderExcluir
  5. GianGuilherme@hotmail.com8 de dezembro de 2010 13:15

    "Que faz o estudo heim"!!! O legislativo precisa de gente assim...
    Faço campanha pra ti Eduardo, pode contar comigo!!!

    ResponderExcluir